quarta-feira, 18 de julho de 2018

Projeto de acadêmicos da UFMS e da UA é desenvolvido nos atrativos do Grupo Rio da Prata


A Estância Mimosa Ecoturismo e o Recanto Ecológico Rio da Prata receberam a equipe de acadêmicos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) formada por Franco L. Souza, Erich A. Fischer, Fábio O. Roque, Maurício Silveira, Clarissa A. Martins, Cynthia C. Santos, Ana
Cláudia P. Borges, Fábio H. Silva e também da  Université d’Angers (UA; Angers, França), Olivier Pays-Volard, Pierre-Cyril Renaud e Hérve Fritz.

Juntos eles atuam no projeto "Efeito da perda de habitats em escala de paisagem sobre o funcionamento de um ecossistema savânico: uma abordagem experimental no Planalto da Bodoquena, Mato Grosso do Sul".

O objetivo do projeto é avaliar o efeito da extinção local de médios e grandes vertebrados herbívoros terrestres na dinâmica da comunidade vegetal por meio de experimentos de exclusão, considerando o contexto de paisagens com diferentes níveis de conversão de habitats.

Veja o resumo abaixo:

Efeito da perda de habitats em escala de paisagem sobre o funcionamento de um ecossistema savânico: uma abordagem experimental no Planalto da Bodoquena, Mato Grosso do Sul

Equipe
Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS; Campo Grande): Franco L. Souza, Erich A. Fischer, Fábio O. Roque, Maurício Silveira, Clarissa A. Martins, Cynthia C. Santos, Ana Cláudia P. Borges, Fábio H. Silva. Université d’Angers (UA; Angers, França): Olivier Pays-Volard, Pierre-Cyril Renaud, Hérve Fritz

Parceiros
UFMS, UA, Capes, Cofecub (França), ICMBio, Fundação Neotrópica do Brasil, Fundect, CNPq, Vanderbilt University (USA), Projeto Quixada Pecarídeo, Estância Mimosa, Recanto Ecológico Rio da Prata, Prefeitura de Bonito, Prefeitura de Bodoquena

Num contexto de forte alteração da paisagem natural pelas atividades humanas, a posição central dos herbívoros na rede de interações torna se chave para analisar e modelar as relações causais e o impacto funcional da fragmentação. Modificação estrutural das comunidades de herbívoros como resultado da redução da densidade ou de biomassa de algumas espécies e extinções locais pode alterar processos como dispersão de sementes, predação ou herbivoria que influenciam o recrutamento de plantas, a riqueza, composição de comunidades e dinâmica da vegetação. Assim, a defaunação destes organismos afeta o papel do pisoteio animal, como uma fonte de danos às mudas, o que poderá gerar uma limitação na dispersão de sementes. Além disso, os herbívoros, com seu comportamento alimentar seletivo ou por reduzir a limitação na dispersão, podem quebrar padrões de estabelecimento de plantas em sub-bosques de florestas. Portanto, a defaunação de herbívoros tem o potencial de alterar a estabilidade e diversidade de comunidades vegetais e grupos associados. Além disso a alteração do habitat decorrente da eliminação ou diminuição de alguns grupos funcionais pode favorecer o estabelecimento de espécies invasoras, o que implicará em mais stress aos ecossistemas através de competição com espécies nativas. A despeito da tendência de perda de espécies de grandes herbívoros corrente no mundo, pouco conhecemos sobre os potenciais efeitos destas perdas em regiões savânicas da América do Sul, particularmente no Cerrado, um hotspot de biodiversidade onde ainda são esperadas grandes mudanças de uso do solo nos próximos anos e pesquisas de biodiversidade que orientem o processo de conservação são prioritárias.

Objetivos
Avaliar o efeito da extinção local de médios e grandes vertebrados herbívoros terrestres na dinâmica da comunidade vegetal por meio de experimentos de exclusão, considerando o contexto de paisagens com diferentes níveis de conversão de habitats. Particularmente, o projeto envolverá a avaliação dos efeitos da exclusão de médios e grandes herbívoros na remoção de frutos e predação de sementes, na estrutura e composição das comunidades de gramíneas e herbáceas e na estrutura e composição de comunidades arbórea-arbustivas.

Métodos
As parcelas de exclusão permitirão medir o efeito dos médios e grandes herbívoros (> 1000g) na dinâmica da comunidade vegetal. Cada parcela de exclusão de 15 x 15 m é construída com postes de eucalypto tratado, cercada com arame tipo alambrado com 2 metros de altura, para impedir o acesso dos animais. Em cada parcela de exclusão serão feitas avaliações anuais ou semestrais sobre crescimento de plantas, decomposição de solo, herbivoria e predação de sementes.




segunda-feira, 16 de julho de 2018

Passarinhada Recanto Ecológico Rio da Prata

Neste fim de semana o casal Nestor Sauer e Ana Maria aproveitaram a visita ao Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) para realizar o passeio de Passarinhada, acompanhados pelo colaborador Waldemilson Salazar.


Enquanto seus filhos realizaram o passeio de trilha e flutuação, Nestor e Ana percorreram os arredores da fazenda, contemplaram a natureza e avistaram diferentes espécies de aves. Entre elas udu, verão e diversas garças, entre outros.
 


Em depoimento, revelaram que adoraram a experiência.  "Fizemos o passeio de observação de pássaros e só temos a agradecer ao Wade pela atenção que teve conosco. O passeio foi maravilhoso, ele com paciência nos explicou sobre as aves, os peixes, as árvores, enfim, tudo. Muito obrigado, iremos voltar com certeza...".

Já no deck de pedra contemplaram os cardumes de peixe no rio da Prata.



Agradecemos nosso parceiro Dentinho, da agência Rio da Prata, que auxiliou a família Nauer no passeio!

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Christian Dalgas Frisch visita o Recanto Ecológico Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no dia 8 de julho a visita do fotógrafo de natureza Christian Dalgas Frisch acompanhado por sua esposa Sarah, seu filho Enrico e amigos.


O grupo realizou passeio de flutuação nas águas cristalinas do Rio da Prata e depois degustaram do almoço regional servido na sede da fazenda.

Em depoimento, Christian agradece aos proprietários do atrativo pela recepção. "Muito obrigado por nos proporcionar momentos tão incríveis neste paraíso que é o Recanto Ecológico Rio da Prata , criado e cuidado com uma competência, carinho e amor à natureza que só pessoas com o coração cheio de amor podem oferecer a este local tão privilegiado. Nos sentimos honrados de poder ao longo de mais de 20 anos voltar e perceber que está tudo mais organizado e repleto de passeios cheio de aves, bichos e peixes! Que seja sempre assim!". 

Christian Dalgas visitou o passeio em outras oportunidades, tanto para lazer como a trabalho, para fazer o registro de inúmeras espécies avistadas no atrativo. Possui uma Galeria de Fotos no site oficial do Recanto Ecológico Rio da Prata, com imagens subaquáticas. Confira em www.riodaprata.com.br 

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Recanto Ecológico Rio da Prata doa mais de 300 mudas para o IASB

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) realizou doações de 306 mudas no mês de junho para a ONG parceira do atrativo, o Instituto das Águas da Serra da Bodoquena - IASB.

Destas, 54 foram doadas para o passeio de bike Lobo Guará, atrativo urbano que incentiva o plantio de árvores e contribui para o reforestamento do rio Formoso. Entre as espécies cedidas estavam: Caroba, Angico Vermelho, Tarumã, Ipê Branco e Ipê Roxo.

Já 252 mudas foram destinadas aos produtores rurais cadastrados no "Cuidando das Águas", projeto do IASB contemplado com recursos do Fundo de Defesa e Reparação de Interesses Difusos e Lesados (Funles), da Semagro - Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar do Mato Grosso do Sul.

As mudas doadas são utilizadas para recompor área de mata ciliar ou reserva legal, arborização de pastagens ou da própria fazenda. Foram entregues as espécies: Ipê Amarelo, Ipê Roxo, Ipê Branco, Caroba, Tarumã, Embaúba, Jatobá Mirim, Angico Vermelho, Para Tudo, Embiruçu, Carne de Vaca, Jatobá do Cerrado, Cumbaru, Pitanga, Marmelo, Araticum, Amora e Carandá.

Durante o mesmo período, o IASB realizou a doação de sementes das espécies Carne de Vaca, Capitão, Amendoim-bravo, Canafístula, Vinhático e Araticum para o Viveiro de Mudas da RPPN Fazenda Cabeceira do Prata. O objetivo é contribuir com a produção de mudas utilizadas pelos projetos de recuperação executados no município bem como no projeto Cuidando das Águas.



segunda-feira, 9 de julho de 2018

Alunos de Jardim participam de ação ambiental no Recanto Ecológico Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no dia 6 de julho a visita de alunos e professores da Escola Estadual Antonio Pinto Pereira, localizada em Jardim.

A visita, uma ação de educação ambiental, integra o Projeto S.O.S. Rio Miranda, sob a coordenação do prof. Rafael Mascarenhas Matos.

Durante o percurso da trilha, a guia de turismo Maria Senir que os acompanhou falou sobre a importância das matas ciliares, cuidados das águas entre outras informações.

"Os alunos adoraram a experiência", revelou o prof. Rafael. "Reforçamos muito a importância de estarem neste local bem como analisar este ambiente único", concluiu.

Veja as fotos:



 

Camila Pitanga e familiares visitam o Recanto Ecológico Rio da Prata

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) recebeu no último sábado (7) a visita atriz Camila Pitanga, seu pai Antonio Pitanga e filha.

Eles realizaram passeio de trilha e flutuação e, em depoimento, revelaram: "Uma alegria transbordante! Obrigada a todos que nos receberam com tanto carinho".

A família Pitanga esteve no destino de ecoturismo brasileiro, Bonito (MS), para participar 4ª edição da Feira Literária de Bonito - Flib- e discutir o filme "Pitanga", depois da exibição do mesmo, no dia 6 de julho. O longa mostra a trajetória e a carreira de Antônio Pitanga, um dos grandes atores do cinema brasileiro, protagonista de momentos marcantes da cinematografia nacional.

Veja as fotos: