sexta-feira, 28 de novembro de 2008

ESTANCIA MIMOSA ECOTURISMO







Uma deliciosa e inesquecível aventura de ecoturismoRespeito ao meio ambiente, interação com a natureza e cultura regional

Informações técnicas
O passeio inicia-se na casa-sede da fazenda, com recepção de um funcionário que faz a apresentação dos arredores. A fazenda conta com redário à sombra de um pé de maracujá, uma lagoa onde vivem jacarés e aves, um pomar com diversas frutas, um viveiro de mudas, uma horta e um oratório no alto do morro.

O visitante é recebido com um lanche de boas vindas, com chás, bolos e biscoitos típicos, e depois parte para uma caminhada pela mata ciliar do Rio Mimoso, passando por nove quedas d’água de diferentes formas. O trajeto oferece ótimos locais para banho em cachoeiras e piscinas naturais, pequenas grutas, mirantes e uma plataforma com seis metros de altura de onde se pode saltar em um poço natural.

Um guia local especializado acompanha o grupo de turistas, que deve ter no máximo doze pessoas. É possível ver animais silvestres, como araras, tucanos, macacos, tamanduás ou mais outras 200 espécies de bichos já catalogadas. O cenário é composto por árvores centenárias, como perobas, aroeiras, jatobás, angicos e piúvas, além de samambaias, orquídeas e bromélias.
Um almoço no estilo de fazenda, com pratos típicos feitos no fogão à lenha e doces caseiros, espera o visitante no retorno à casa-sede da fazenda. Todo o passeio, incluindo o almoço, dura em média 5 horas. Há ainda passeios opcionais na Estância Mimosa, como cavalgada pelas matas e morrarias da fazenda e observação de aves (Birdwatching).

O valor do passeio inclui o lanche e o almoço, o acompanhamento do guia, o colete salva-vidas e o seguro contra acidentes. Botas de neoprene em todos os tamanhos podem ser alugadas.

Percursos diferenciadosComo o passeio atende a todas as idades, a Estância Mimosa recebe crianças e idosos, para quem o atendimento é diferenciado, a fim de se garantir tranqüilidade e segurança.

Mesmo o percurso nas cachoeiras da fazenda sendo considerado de nível de dificuldade baixo, as escadarias de acesso aos mirantes para observação da Serra da Bodoquena e à cachoeira do Sinhozinho podem causar desconforto para alguns. Por isso, há opção de retornar de barco até a última cachoeira.

Localização
Localizada na cidade de Bonito-MS, a Estância Mimosa é uma fazenda que concilia criação de gado, a mais tradicional atividade econômica da região, com o ecoturismo. A proposta é mostrar aos visitantes as belezas naturais da região, e um pouco da peculiar cultura sul-mato-grossense. O acesso ao passeio se dá pela Rodovia MS 178, Km 18, na Zona Rural de Bonito. A sede da fazenda fica a 26 km de Bonito e a 300 km de Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul.
HistóricoUtilizada até 1998 unicamente como fazenda de criação de gado, a Estância Mimosa teve sua estrutura organizada para receber visitantes a partir de junho de 1999, com a primeira fase da implantação do roteiro de visitação. A segunda fase iniciou-se em março de 2000, com melhorias na estrutura física e no quadro de funcionários. Atualmente, a fazenda conta com onze funcionários, que se baseiam em três pilares fundamentais no trabalho: qualidade de serviços prestados, segurança para os visitantes e conservação ambiental.
Meio ambienteA Estância Mimosa procura operar de maneira exemplar dentro dos conceitos de ecoturismo e desenvolvimento sustentável, através de diretrizes e ações como:

• Práticas de atividades turísticas de mínimo impacto ambiental;
• Monitoramento de impacto ambiental das atividades turísticas;
• Uso do ecoturismo como ferramenta para educação ambiental;
• Prioridade na contratação de mão-de-obra local;
• Valorização dos aspectos culturais e sociais da região;
• Apoio a projetos de pesquisa científica e visitas técnicas;
• Produção própria de alimentos, como: leite, para elaborar os queijos e doces servidos aos visitantes; criação de carneiros e porcos, para consumo da carne; galinhas, para produção de ovos; e horta com manejo orgânico, responsável por boa parte do abastecimento dos vegetais servidos nas refeições;
• Minhocário, para compostagem e ajuda na adubação natural do solo;
• Manejo ecológico da produção rural;
• Viveiro de mudas de árvores nativas;
• Proibição de caça, pesca, corte de madeira e criação de animais domésticos e silvestres;
• Destinação adequada para os resíduos sólidos e esgoto;
• Venda de artesanato somente de produção regional para valorizar a cultura local;
• Capacitação de funcionários e prestadores de serviços;
• Apoio a ONGs, Projetos sociais e Associações de classe da região;
• Troca de experiências com outros sítios turísticos visando o aperfeiçoamento do destino como um todo;
• Ações ambientais visando à recuperação da qualidade das águas do Rio Mimoso;
• Respeito à legislação vigente e pagamento de todos os tributos e encargos trabalhistas;
• Melhoria contínua da qualidade dos serviços oferecidos e segurança do passeio;
• Melhoria contínua da gestão do empreendimento como um todo e;
• Autenticidade nas ações comerciais e no crescimento institucional.

É interessante ressaltar que a fazenda, cuja área totaliza 402 hectares, situa-se em uma região de relevo bastante acidentado, o que a torna pouco propícia à formação de pastagens. Boa parte da propriedade fica em áreas de preservação permanente (morros e matas ciliares); desta forma, suas características ambientais foram bastante conservadas ao longo dos anos, o que confirma sua vocação como uma região para uso ecoturístico.

Fauna e Flora
A Estância Mimosa fica na Serra da Bodoquena, que está situada no bioma Cerrado, o segundo maior bioma brasileiro (cerca de 25 % do território do país).A flora da fazenda é composta por ipês roxos, amarelos e brancos, aroeiras, perobas, angicos, manduvis, chimbuvas, figueiras e vários tipos de palmeiras.

Entre os animais, estão o lobo-guará, o tamanduá-bandeira e as onças, todos ameaçados de extinção. Além deles, há ainda lobinhos, macacos-prego, bugios, quatis, capivaras, antas, veados, cutias, ariranhas, entre outros. Os répteis mais freqüentemente vistos são os jacarés, os lagartos e as sucuris. Já com relação às aves, 230 espécies já foram catalogadas nas dependências da fazenda, como a ema, o mutum-de-penacho, o udu ou juruva, o surucuá, o tucano, diversas espécies de pica-paus, beija-flores, garças, corujas, gaviões e falcões.

Mais informações no site:
www.bonitoweb.com.br ou pelo e-mail: vendas@bonitoweb.com.br


Fotos: André Seale

Over/Under: Arquipélago de São Pedro e São Paulo


"Uma viagem fotográfica ao remoto Arquipélago de São Pedro e São Paulo, a 600 milhas da costa brasileira, produzida pelo premiado fotógrafo de vida selvagem e biólogo marinho André Seale. O texto e as legendas estão em inglês e português. As imagens inéditas e marcantes fazem deste livro um item indispensável na estante de amantes de natureza e fotografia. Este livro é o primeiro da série "Over/Under", que ilustra destinos exóticos e remotos do planeta e é dividido em três capítulos principais: fotografia terrestre, meio a meio, e subaquática."

Essa é a descrição para o livro que André acabou de lançar. "Over/Under: Arquipélago de São Pedro e São Paulo" é o primeiro livro de enfoque fotográfico a cobrir detalhes da vida no ASPSP. A visão do arquipélago acontece em 3 níveis: sobre a água, na interface e subaquático. São 120 páginas, formato 18x18cm, com mais de 100 imagens impressionantes da biodiversidade que habita estas ilhotas no meio do Atlântico. Um relato fotográfico da natureza incrível do local, que é mantido pela Marinha Brasileira e acessível somente a pequenos grupos de pesquisa agendados com bastante antecedência via projetos no CNPq. A nossa idéia, ao criarmos o livro, é de que as pessoas que não podem ir ao ASPSP tenham a possibilidade de "viajar" pelas fotos e conhecer um pouco mais de um Brasil inóspito, inacessível e belo.


8 páginas para dar um gostinho...

O livro inclui também a foto recentemente premiada pelo National Wildlife Magazine, de um atobá mergulhando. A foto foi a vencedora da categoria Birds, dentre mais de 50,000 enviadas. Mais um belo motivo para comprar um exemplar do livro...

A série "Over/Under" (logo design by us) tem a intenção de trazer 3 perspectivas diferentes de um destino "aquático" do mundo. Como fotógrafo, André notoriamente valoriza a interface da água e a série expande as visões possíveis a partir desta interface, o choque da diferença entre cada uma das perspectivas reveladas. Já estamos trabalhando em mais 2 volumes da série, que em breve serão lançados.

O banner que dá acesso à página de encomenda do livro no Blurb (sistema de publish-on-demand) ficará a partir de hoje na barra aí do lado. Sintam-se à vontade para catá-lo e divulgá-lo pela web. Há 3 opções de compra: livro com capa mole, com capa dura, e com capa dura lisa e sobrecapa de papel. O preço varia de acordo com a escolha feita. A opção mais em conta é o de capa mole, a US$39.95. O frete dos EUA para o Brasil fica em torno de 18 dólares. (Mas se tivermos vários pedidos, por exemplo, o preço de frete por livro fica bem mais em conta.)

É possível comprar diretamente via Blurb, com seu cartão de crédito; basta fazer um cadastro simples. Entretanto, quem não estiver cadastrado no Blurb mas quiser comprar um exemplar do livro, pode encomendar direto da gente, sem taxa extra alguma. Neste caso, basta mandar um email para mallablog@gmail.com.

É um ótimo presente para apaixonados por fotografia.

P.S.: Quem encomendar um exemplar de "Over/Under: Arquipélago de São Pedro e São Paulo" até o Natal, ganhará de presente um lindo calendário exclusivo da ArteSub para 2009. O calendário chama-se "Jardins Marinhos Tropicais", título do livro fotográfico que escrevemos sobre os recifes de corais tropicais do planeta, agendado para lançamento em 2009 pela editora Metalivros.

Por Lúcia Malla de "Uma Malla pelo Mundo"

Fotos: André Seale

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

RECANTO ECOLÓGICO RIO DA PRATA

Sede da Fazenda Cabeceira do Prata
Flutuação no rio da Prata
Almoço típico sul-mato-grossense

Mergulho com cilindro

Mergulho inesquecível em um dos rios mais cristalinos do mundo e passeio de trilha por sua mata ciliarEleito, pela segunda vez, como “A Melhor Atração Turística do Brasil” pelo Guia 4 Rodas, através da categoria “a escolha do leitor”

Informações técnicas sobre o passeio

O passeio de ecoturismo no Recanto Ecológico Rio da Prata inicia-se com uma trilha interpretativa pelas matas ciliares dos rios da Prata e Olho d’Água. Após a chegada à nascente do rio Olho d’Água, um grupo de no máximo nove pessoas – equipadas com máscaras de mergulho, snorkel, botas e roupas de neoprene – desce flutuando por cerca de dois mil metros de águas cristalinas.

DescritivoDurante o trajeto da caminhada em trilha interpretativa pela mata ciliar do Rio da Prata, é possível observar a fauna e a flora riquíssimas do local. A observação de aves e outros animais silvestres são comuns durante o passeio, bem como de peixes na transparência das águas do rio. Mais de 320 espécies de animais, entre mamíferos, aves e peixes, já foram catalogadas na propriedade, o que evidencia a grande biodiversidade da região, inclusive com novas espécies para a ciência.

O fim da trilha dá início à parte aquática do passeio, quando os visitantes flutuam tranqüilamente em um imenso aquário de águas cristalinas extremamente ricas em vida animal e vegetal. Peixes típicos do Mato Grosso do Sul, como Dourado, Pacu, Piraputanga e Curimba, acompanham os turistas durante todo o percurso.

Para a flutuação, é obrigatório o uso de máscara de mergulho, snorkel, e roupas e botas de neoprene, equipamentos que já estão inclusos no valor do passeio, assim como o seguro contra acidentes oferecido ao visitante.

Pensando na segurança e preservação do meio ambiente, e para melhor aproveitamento do passeio, os grupos de visita têm, no máximo, nove pessoas, sempre acompanhadas por um guia local especializado.

O passeio encerra-se com um delicioso almoço típico sul-mato-grossense servido na sede da fazenda (opcional). Toda a atividade – incluindo a refeição – dura em média 5 horas.

O Recanto Ecológico Rio da Prata dispõe ainda de outras opções de passeios, perfeitos para encerrar o dia e curtir uma nova aventura. Há Cavalgadas, Observação de aves (Birdwatching) e Mergulho com cilindro em profundidade de até sete metros nas águas cristalinas do Rio da Prata. Para a realização desta última atividade, não é necessário ter feito curso de mergulho. Com cerca de cinco minutos de caminhada, também é possível visitar os açudes que abrigam jacarés, a horta orgânica, as construções tradicionais de operação da fazenda (como mangueiro, galinheiro, etc.), e o viveiro de mudas, onde são vendidas mudas saudáveis de árvores nativas.

Percursos diferenciados
Ideal para todas as idades, o passeio de ecoturismo no Recanto Ecológico Rio da Prata garante atenção especial para visitantes com limitações, que não queiram fazer a parte da flutuação no rio, por exemplo. Neste caso, após a trilha, a flutuação é feita apenas na nascente, onde as águas são rasas e dão mais segurança ao turista, oferecendo a oportunidade de se observar com calma os encantos do mundo submerso. Após desfrutar das belezas da nascente, o visitante é transportado até o deck de pedras (na parte final do passeio), de onde segue de barco pelo Rio da Prata até o encontro com o Rio Olho D’água, observando as aves, os animais da mata e os cardumes de peixes.

Localização
O passeio de ecoturismo Recanto Ecológico Rio da Prata localiza-se na Fazenda Cabeceira do Prata, situada em Jardim, no estado de Mato Grosso do Sul, na divisa com o município de Bonito. A região se destaca como um dos principais pólos ecoturísticos brasileiros, devido à rara beleza natural de rios cristalinos, cachoeiras, grutas, matas, fauna e flora. Além disso, o sistema de organização das atividades turísticas é considerado um modelo no país.

O acesso ao passeio Recanto Ecológico Rio da Prata se dá pela Rodovia BR 267, Km 512, na Zona Rural de Jardim, MS. A distância da sede da fazenda em relação a Bonito é de 50 km, a Jardim 35 km, e a Campo Grande, capital do Estado, 235 km.

HistóricoA operação turística iniciou-se em junho de 1995, com o passeio de trilha e a flutuação. A antiga casa do proprietário foi transformada no receptivo e adaptada para receber os visitantes. Atualmente, 23 funcionários atuam em diversas áreas na fazenda.

A capacidade do passeio é de 150 pessoas por dia, limite estabelecido pela licença ambiental de operação do IMASUL (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), que leva em conta três critérios: qualidade dos serviços prestados, segurança para o visitante e conservação ambiental.

Conservação do meio ambienteA Fazenda Cabeceira do Prata, onde acontece o passeio de ecoturismo Recanto Ecológico Rio da Prata, situa-se em Jardim, na margem direita do Rio da Prata, pertencente à Sub-bacia do Rio Miranda e à Bacia Hidrográfica do Rio Paraguai.O rio da Prata constitui-se no limite norte da fazenda e da RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural), além de fazer divisa também com o município de Bonito (cerca de 3300 metros na propriedade). O rio Olho D’água fica inteiramente dentro da RPPN, possui 1450 metros de extensão, e é afluente do rio da Prata. Abaixo das nascentes principais, há um lago de águas cristalinas de aproximadamente 600 m², conhecido como “nascente”. É neste lugar que se inicia a atividade de flutuação, principal parte do passeio de ecoturismo.

A RPPN Fazenda Cabeceira do Prata foi criada em 27 de abril de 1999, a fim de garantir a perpétua conservação das nascentes do rio Olho D’água, que ficam completamente dentro da fazenda. A proteção da RPPN abrange 21,5% da área total da fazenda, um total de 307,53 hectares, e envolve toda a mata ciliar, além do rio Olho d’Água, desde a nascente até a foz, no rio da Prata. A Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) é uma categoria de unidade de conservação da legislação ambiental brasileira que permite a proteção perpétua de uma área sem a necessidade de desapropriação, sendo criada por iniciativa do proprietário.

Na fazenda, além do ecoturismo, também são desenvolvidos levantamentos e pesquisas sobre espécies vegetais e animais, seu comportamento, sua relação com o rio e as nascentes, bem como o controle e o monitoramento dos impactos ambientais decorrentes da atividade turítica.

O Recanto Ecológico Rio da Prata também criou um modelo sustentável de ecoturismo, adotando diretrizes primordiais de ação que são seguidas para orientar o desenvolvimento do empreendimento, com o objetivo de atingir um grau de excelência em operação e resultar em um produto turístico de qualidade significativa. A filosofia operacional do empreendimento baseia-se na máxima utilizada nos processos de certificação madeireira do Conselho Brasileiro de Manejo Florestal/FSC Brasil, de ser “ecologicamente adequado, socialmente justo e economicamente viável” (Conselho Brasileiro de Turismo Sustentável, 2003).
Por isso, depreende-se que a diretriz primordial que permeia as atividades do Recanto Ecológico Rio da Prata é o respeito ao meio ambiente. Os funcionários são treinados para realizar procedimentos de separação de lixo para reciclagem, faz-se compostagem para produção de fertilizante orgânico, há viveiro de mudas para produção de árvores nativas, horta orgânica e educação ambiental, e se valorizam a cultura e a história da região.

Durante a rotina da fazenda, há um biólogo responsável por implantar e monitorar os conceitos de turismo sustentável, que auxilia na capacitação de profissionais e desenvolve projetos em ecoturismo e pesquisas com fauna e flora. Todos os profissionais da gerência são qualificados, e os proprietários do atrativo possuem grande envolvimento com os problemas sócio-ambientais da região, participando de projetos e ONGs (Organizações não-governamentais) que atuam nestas áreas, patrocinando-os, e fomentando a divulgação de praticas saudáveis.

Fauna e FloraO Cerrado, segundo maior bioma brasileiro (25% do Brasil), é o cenário da fazenda. Ipês roxos, amarelos e brancos, aroeiras, perobas, angicos, manduvis, ximbuvas, figueiras e diversos tipos de palmeiras são árvores comuns desta formação vegetal, sempre presentes no Recanto Ecológico Rio da Prata.

Entre os animais, estão o lobo-guará, o tamanduá-bandeira e as onças, todos ameaçados de extinção. Além deles, há ainda lobinhos, macacos-prego, bugios, quatis, capivaras, antas, veados, cutias, ariranhas, entre outros. Os répteis mais freqüentemente vistos são os jacarés e as sucuris. Já com relação às aves aves, 228 espécies já foram catalogadas nas dependências da fazenda. Os peixes têm sido objeto de diversos estudos, e pesquisadores já catalogaram mais de 55 espécies nos rios da propriedade, incluindo espécies novas para a ciência.

Informações adicionais sobre a fazendaPensando na sustentabilidade na operação ecoturística e da região, algumas diretrizes e práticas são adotadas na propriedade.

• Práticas de atividades turísticas de mínimo impacto ambiental;
• Monitoramento de impacto ambiental das atividades turísticas;
• Uso do ecoturismo como ferramenta para educação ambiental;
• Prioridade na contratação de mão-de-obra local;
• Valorização dos aspectos culturais e sociais da região;
• Apoio a projetos de pesquisa científica e visitas técnicas;
• Produção própria de alimentos, como: leite, para elaborar os queijos e doces servidos aos visitantes; criação de carneiros e porcos, para consumo da carne; galinhas, para produção de ovos; e horta com manejo orgânico, responsável por boa parte do abastecimento dos vegetais servidos nas refeições;
• Minhocário, para compostagem e ajuda na adubação natural do solo;
• Manejo ecológico da produção rural;
• Viveiro de mudas de árvores nativas;
• Proibição de caça, pesca, corte de madeira e criação de animais domésticos e silvestres;
• Destinação adequada para resíduos sólidos e esgoto;
• Venda de artesanato somente de produção regional, a fim de valorizar a cultura local;
• Capacitação de funcionários e prestadores de serviços;
• Apoio a ONGs, projetos sociais e associações de classe da região;
• Troca de experiências com outros sítios turísticos, visando o aperfeiçoamento do destino como um todo;
• Respeito à legislação vigente e pagamento de todos os tributos e encargos trabalhistas;
• Melhoria contínua da qualidade dos serviços oferecidos e segurança do passeio;
• Melhoria contínua da gestão do empreendimento como um todo;
• Autenticidade nas ações comerciais e no crescimento institucional.

Mais informações no site:
www.bonitoweb.com.br ou pelo e-mail: vendas@bonitoweb.com.br

Fotos: André Seale




Cenário musical de MS ganha destaque no site da MTV

De forma voluntária e "na cara dura", o recém-formado jornalista Rafael Meira, de 23 anos, conseguiu espaço numa das maiores vitrines musicais do Brasil para divulgar o cenário musical sul-mato-grossense.

É o blog Rock do Mato, que de maneira despretensiosa, segundo ele, "vai documentar o que rola na cena musical de Mato Grosso do Sul; onde fica o Pantanal e voa o tuiuiú", diz.

Rafael aproveitou a vinda a Campo Grande do ex-VJ e atual coordenador de conteúdo do site MTV, Rafa Losso, há alguns meses, onde veio apresentar a banda de rock dele. Acabaram ficando amigos após uma entrevista, até que Meira fez a proposta. O resultado é que no início de novembro ele conseguiu um espaço exclusivo no site da MTV.

A intenção do blog é mostrar o trabalho produzido pelas bandas do Estado. "É uma excelente oportunidade que nossos artistas têm para romper as fronteiras do estado e fazer sucesso nacionalmente", afirma Meira.

O endereço do blog é www.mtv.com.br/rockdomato.

Fonte: Campo Grande News

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Educando e Plantando na RPPN Fazenda Cabeceira do Prata











Foi realizada no dia 24 de novembro de 2008 a primeira etapa do projeto Educando e Plantando, apoiado pela Conservação Internacional do Brasil (CI) e pela REPAMS (Associação de Proprietários de Reservas Particulares do Patrimônio Natural de Mato Grosso do Sul), o qual tem como principal objetivo promover a restauração da vegetação através do plantio de mudas nativas da região, integrando práticas de Educação Ambiental junto aos estudantes da rede municipal de ensino da cidade de Jardim/MS. Serão quatro etapas, com quatro escolas diferentes de Jardim.

A escola Major Alberto Rodrigues da Costa foi a primeira a participar. Junto com ela participaram também dois colaboradores do IASB (Instituto das Águas da Serra da Bodoquena), a coordenadora de Educação do município de Jardim e funcionários da fazenda. Os vinte e dois alunos participantes (oito a menos que o previsto) plantaram, com auxílio dos professores e colaboradores, um total de 100 mudas nativas.

Á área do plantio, conforme programado, encontra-se dentro da RPPN. Previamente, a área foi preparada para receber as mudas através do coroamento, abertura das covas e marcação com estacas. Para isto foram utilizadas as ferramentas de acordo com o que foi proposto no projeto inicial, aprovado pela CI e pela REPAMS através do Programa de Incentivo às RPPNs do Pantanal.

A atividade

Os alunos chegaram ao Recanto Ecológico Rio da Prata por volta das 14h10 com o ônibus escolar fornecido pela prefeitura Municipal de Jardim, e logo foram encaminhados para o local onde foi realizada a palestra referente a preservação e conservação do meio ambiente e às relações entre os seres humanos e a natureza, bem como uma aula de como plantar as mudas no campo.

Houve também visita ao viveiro de mudas nativas e ao minhocário da fazenda. Após a palestra, foi fornecido um lanche da tarde, com suco, sanduíche, laranja e banana. Para a realização da atividade em campo, os alunos foram divididos em duplas, sendo que cada dupla foi orientada por um auxiliar de plantio (professores, funcionários e colaboradores do IASB).

Por volta das 16h, os alunos foram deslocados para a área do reflorestamento, onde iniciaram o plantio das mudas. À medida que os alunos plantavam as mudas, informações ecológicas sobre as espécies eram transmitidas pelos auxiliares de plantio. Depois, os alunos foram conhecer o rio da Prata, onde foram transmitidas informações sobre as matas ciliares. A atividade foi encerrada por voltas das 17h20, com sorteio de brindes do Recanto Ecológico Rio da Prata.

Fotos: Divulgação Rio da Prata

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Implantação do Sistema Silvipastoril representa mais uma ação sustentável do Recanto Ecológico Rio da Prata




Mais uma iniciativa com o objetivo de promover a sustentabilidade, o bem-estar animal, incrementar a produtividade e garantir a beleza da paisagem, o Recanto Ecológico Rio da Prata realiza outra etapa de implantação do Sistema Silvipastoril na fazenda sede do passeio, a Cabeceira do Prata, localizada no município de Jardim-MS, próximo a Bonito.

Neste mês de novembro, a fazenda Cabeceira do Prata promoveu o plantio de 210 mudas de árvores de 21 espécies nativas do cerrado, as quais atraem a fauna local. Dentre elas, Angico-vermelho, Cumbaru, Pequi, Aroeira, Mandovi, Mandiocão, Cedro, entre outras. Após o próximo período de chuva está previsto o plantio de mais 300 mudas no local, totalizando 14 hectares. As mudas foram cultivadas no viveiro da própria fazenda, e o plantio está sendo feito com adubação orgânica, evitando assim o uso de adubo químico.

O Sistema Silvipastoril (SSP) é a combinação intencional de árvores, pastagem e gado numa mesma área ao mesmo tempo e manejados de forma integrada, com o objetivo de incrementar a produtividade por unidade de área. Nesses sistemas, ocorrem interações em todos os sentidos e em diferentes magnitudes. Segundo a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa - as árvores, além de produzir frutos que podem ser utilizados para consumo interno da fazenda e servir como alimento para o gado, também permitem o aumento da diversidade da fauna. Além disso, podem reduzir a erosão, melhorar a conservação da água, diminuir a necessidade de fertilizantes minerais, capturar e fixar carbono, diversificar a produção, aumentar a renda e a biodiversidade e melhorar o conforto dos animais. E são esses os objetivos pretendidos pelo Recanto Ecológico Rio da Prata: reduzir o uso de insumos, conservar a natureza local e otimizar a produção através de práticas sustentáveis.

Segundo o proprietário da Fazenda Cabeceira do Prata, Eduardo Folley Coelho, este é um projeto inovador, que através do ecoturismo desenvolvido na fazenda, poderá ser mostrado para o mundo. "Existem maneiras bem mais econômicas para produzir, e assim o lucro é maior. Mas não é viável, já que o meio ambiente pode pagar muito caro por essa 'economia' de investimento", diz Eduardo. Ele exemplifica explicando que usar adubo químico é mais barato, mas contribui para o aquecimento global, já que os gases tóxicos evaporam e vão para a atmosfera. O empresário conta que a evolução desse projeto pode gerar parcerias futuras com universidades e núcleos de pesquisa a fim de promover o melhoramento genético e a seleção das espécies da flora nativa.

A implantação do Sistema Silvipastoril na fazenda sede do passeio ecoturístico Recanto Ecológico Rio da Prata, além de melhorar e tornar mais bonito o ambiente para o ecoturismo, pretende incentivar proprietários de terra da região na adoção de práticas sustentáveis. "Algumas atitudes podem ser boas para a gente, mas não para os outros", completa Eduardo.

Fotos: Divulgação Rio da Prata

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Recanto Ecológico Rio da Prata é finalista do Prêmio Eco 2008

Belezas Naturais do Recanto Ecológico Rio da Prata Foto: Cristian Dalgas

Com o objetivo de reconhecer anualmente as melhores práticas de cidadania empresarial que contribuam exemplarmente para o bem-estar e a sustentabilidade da sociedade, o Prêmio Eco é uma iniciativa, sem fins lucrativos, que coloca em evidência as empresas brasileiras direta ou indiretamente ligadas à causa ambiental.

Em 2008, o Prêmio ECO® está sendo realizado através da parceria entre a Câmara Americana do Comércio - AMCHAM - e o jornal Valor Econômico, nos termos do acordo de cooperação firmado entre as partes. A iniciativa reuniu e analisou 116 trabalhos inscritos, desenvolvidos por 114 empresas em 13 Estados do país.

O júri, composto por especialistas, avaliaram representantes das áreas de Gestão Empresarial para a Sustentabilidade (GES) e Práticas de Responsabilidade Social Empresarial (PRSE), categorias contempladas pelo Prêmio.

O empreendimento Japacanim Ecoturismo, conhecido como Recanto Ecológico Rio da Prata, localizado no município de Jardim, sudoeste do estado de Mato Grosso do Sul, é participante do Prêmio Eco 2008. O objetivo primordial da fazenda em fazer turismo respeitando o meio ambiente, em detrimento de atividades massificadas e "predatórias", foi buscar torná-lo sustentável, de modo que estes atrativos naturais e culturais estejam disponíveis indefinidamente, possibilitando também uma oferta constante e duradoura de empregos na região. Mais de 307 hectares da fazenda formam um RPPN (Reserva Particular de Patrimônio Natural), visando garantir perpetuamente a conservação das nascentes do Rio Olho d'Água e parte do Rio da Prata, onde a atividade ecoturística de flutuação é desenvolvida.

Os vencedores de PRSE na categoria Meio Ambiente são: a fabricante de embalagens Tetra Pak, a indústria química Quimatec e o Grupo Eco, através do Projeto "Sustainable Amazon". Na categoria Comunidades, levaram o prêmio: a gigante do software Microsoft, a emissora TV Bandeirantes de Campinas e a empresa de Consultoria em Gestão e Capital Humano Mariaca. Nas categorias Público Interno e Fornecedores foram premiados o Banco Real e o Portal Educação.

Entre as 26 empresas que apresentaram trabalhos na modalidade Gestão Empresarial para a Sustentabilidade foram selecionadas sete finalistas: Japacanim Ecoturismo, Eco Negócios Sustentáveis, Ecotec Tecnologia Ecológica, RL Sistemas de Higiene, Banco Real, Banco Itaú e Holacim. O resultado da modalidade GES será definido no dia 3 de dezembro, e publicado pelo jornal Valor Econômico no dia 4.

Assessoria de Imprensa
Recanto Ecológico Rio da Prata
Estância Mimosa Ecoturismo
http://www.bonitoweb.com.br/

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Enquanto isso na fazenda...

Os funcionários do Recanto Ecológico Rio da Prata preparam tudo para o almoço dos turistas. Mesa enfeitada, saladas coloridas e forno à lenha aceso! Então, é apreciar o sabor de fazenda...







Fotos: Divulgação Estância Mimosa

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Solenidade de abertura da Feiratur acontece nesta quinta-feira

A ABRATURR, ABRATURR/MS E IDESTUR convidam para a solenidade de abertura da 5ª FEIRATURR, que será realizada no dia 20 de novrmbro, às 8h30, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, no Parque dos Poderes, Campo Grande-MS.
Mais informações através do site: www.feiratur.tur.br

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Atrativos turísticos de Bonito e região oferecem programa de estágio para acadêmicos de turismo e biologia


Com o objetivo de proporcionar experiência através da prática, o Recanto Ecológico Rio da Prata e a Estância Mimosa Ecoturismo oferecem programas de estágio para acadêmicos de turismo e biologia de todo o Brasil.

O Rio da Prata e a Estância Mimosa recebem acadêmicos de várias universidades públicas ou privadas. Os estudantes vivenciam, na prática, todo o processo de operacionalização da atividade em ecoturismo e participam das ações para conservação ambiental, principalmente os que atuam na área de Biologia.

Os passeios realizam seleções para estágio supervisionado ou extracurricular, disponibilizando vagas durante todo o ano letivo. Os universitários devem estar de acordo com alguns pré-requisitos como: Estar cursando o terceiro ano de Turismo ou Ciências Biológicas; ter disponibilidade para residir na fazenda durante o período de estágio; ter disponibilidade mínima para estágio de 2 meses para férias de final de ano e 1 mês para os outros meses.

Outro pré-requisito para estagiar na área de ecoturismo é gostar de ambiente natural. Para a otimização do trabalho de equipe e o melhor aprendizado do estagiário é aconselhável ter capacidade de trabalhar em grupo e em áreas isoladas, longe das cidades; ter responsabilidade, pontualidade, paciência e companheirismo e aceitar de maneira pró-ativa todas as tarefas que lhe forem confiadas.

Para conhecer mais sobre os passeios acesse o site:
www.bonitoweb.com.br

Entre em contato com o Recanto Ecológico Rio da Prata e com a Estância Mimosa Ecoturismo e faça a diferença no seu futuro profissional.

Da Assessoria de Imprensa

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Mensagem do dia: Os 4 compromissos do guerreiro espiritual

Por: Don Miguel Ruiz

1. Seja impecável com sua palavra.
Fale com integridade. Diga realmente o que você quer expressar. Evite usar a palavra para falar contra si mesmo ou para fazer fofoca sobre os outros. Use o poder de sua palavra na direção da verdade e do amor.

2. Não leve nada a nível pessoal.
Nada do que os outros fazem é por sua causa, nunca! O que os outros fazem e falam é a projeção da realidade deles, do sonho deles. Quando você é imune às opiniões e ações dos outros, você não será vítima de sofrimento desnecessário.

3. Não faça suposições.
Encontre coragem para fazer perguntas e expresse verdadeiramente o que você quer. Comunique-se com os outros o mais claramente possível para evitar mal entendidos, tristezas, dramas. Seguindo apenas este compromisso, você pode mudar completamente a sua vida.

4. Sempre faça o seu melhor.
Seu melhor vai mudar de momento a momento. Será diferente quando você estiver saudável de quando você estiver doente. Em qualquer circunstância, simplesmente dê o seu melhor, assim evitará ficar se julgando, abusando de si mesmo, evitará remorsos.


quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Workshop Pantanal e Bonito


O Estado de Mato Grosso do Sul, através da Fundação de Turismo, convida os empresários do setor turístico para participarem do WorkShop Pantanal & Bonito que será realizado em Ribeirão Preto, Campinas e São Paulo.

A FUNDTUR MS em parceria com o SEBRAE/MS disponibilizará uma caravana com38 lugares para os empresários que queiram participar.

Percursos e Programações:

Campo Grande / Ribeirão Preto:
Saída da caravana: 23/11 às 23h30 no SEBRAE/MS
Distância – tempo de viagem: 825km / 10h00
Chegada em Ribeirão Preto: 24/11 às 10h30

WORKSHOP:24/11 às 18hLocal: Ribeirão Preto Taiwan HotelRua Lafaiete, 1370 – Centro
Fone: (16) 4009-8899 – Ribeirão Preto/SP
Convidados: 150 agências de viagens
Local: Sala Taiwan01 mesa expositora e 01 porta banner para cada empresário para a divulgação e promoção de seus produtos e serviços.
14h00 às 17h00 - montagem
18h00 às 21h00 - workshop + coquetel + cultural

Informamos que estamos com apartamentos bloqueados para os nossos expositores, para tanto, após a confirmação de sua participação junto a FUNDTUR, favor contatar diretamente o hotel e efetuarem a sua reserva.

As despesas com hospedagem e extras serão por conta do expositor.
Valor da diária:SGL R$ 118,00
DBL R$ 148,00

Ribeirão Preto / Campinas:
Saída da caravana: 25/11 às 8h30
Distância – tempo de viagem: 226km / 3h00 Chegada em Campinas: 25/11 às 11h30

WORKSHOP:25/11 às 18h
Local: Vila Rica Hotel
Rua Donato Paschoal, 100 - Parque Itália
Fone: (19) 3773-8008 – Campinas/SP
Convidados: 150 agências de viagens
Local: Salão Luiz Serson01 mesa expositora e 01 porta banner para cada empresário para a divulgação e promoção de seus produtos e serviços.
14h00 às 17h00 - montagem18h00 às 21h00 - workshop + coquetel + cultural

Informamos que estamos com apartamentos bloqueados para os nossos expositores, para tanto, após a confirmação de sua participação junto a FUNDTUR, favor contatar diretamente o hotel e efetuarem a sua reserva.

As despesas com hospedagem e extras serão por conta do expositor.Valor da diária:SGL R$ 95,00
DBL R$ 110,00

Campinas / São Paulo:
Saída da caravana: 26/11 às 8h30
Distância – tempo de viagem: 100km / 1h30
Chegada em São Paulo: 26/11 às 11h00

WORKSHOP:26 e 27/11 às 18h
Local: Boulevard São Luiz HotelAv. São Luiz, 234 - República
Fone: (11) 3638-8500
Convidados: 200 agências de viagens por dia.
Local: Restaurante Piso R01 mesa expositora e 01 porta banner para cada empresário para a divulgação e promoção de seus produtos e serviços.
14h00 às 17h00 - montagem18h00 às 21h00 - workshop + coquetel + cultural

Informamos que estamos com apartamentos bloqueados para os nossos expositores, para tanto, após a confirmação de sua participação junto a FUNDTUR, favor contatar diretamente o hotel e efetuarem a sua reserva.

As despesas com hospedagem e extras serão por conta do expositor.Valor da diária:SGL R$ 113,00
DBL R$ 146,00

Importante lembrar-se da necessidade de confirmarem a participação na FUNDTURMS através dos telefones: (67) 3318-7600 / 3318-7627 com Tânia Silva ou através do e-mail: eventospd@fundtur.ms.gov.br

Fonte: Fundtur MS



quarta-feira, 12 de novembro de 2008

ARTIGO: CIÊNCIAS OCULTAS

Por:Sônia Corina Hess,engenheira química, professora da UFMS

Na Exposição Mundial de Paris, realizada entre maio e novembro de 1937, no pavilhão da Espanha, havia uma fonte instalada no jardim, de onde jorrava mercúrio metálico. Naquela época, ainda não eram conhecidos os danos que este metal causa à saúde humana e aos ecossistemas. A talidomida foi banida do mercado no início dos anos 1960, ao comprovar-se que a exposição de mulheres grávidas a este medicamento havia sido responsável pelo nascimento de bebês com deformidades graves.

De 1930 até 1990, os clorofluorcarbonos (CFC's) foram produtos industriais amplamente utilizados (gases de refrigeração, propelentes, agentes de limpeza de componentes eletrônicos, etc), até que trabalhos científicos demonstraram que estes gases têm participação no processo de destruição da camada de ozônio. Em 1948, Paul Muller recebeu o Prêmio Nobel de Fisiologia por sua descoberta do DDT, um eficiente veneno de contato contra diversos insetos. Somente depois do DDT ter sido amplamente empregado ao redor do mundo, é que foram divulgados os seus efeitos danosos sobre a saúde humana e os ecossistemas, que resultaram na proibição do seu uso, na maioria dos países, ainda nas décadas de 1970 e 80.

No Brasil, o DDT foi utilizado no combate a vetores até o final da década de 1990, e funcionários que aplicaram este inseticida impetraram ações judiciais contra a Fundação Nacional de Saúde (FUNASA), alegando que a exposição àquele material tóxico teria originado as doenças que os têm vitimado. Em 17 de outubro deste ano o governo do Canadá proibiu a comercialização, importação e propaganda de mamadeiras feitas de policarbonato, um plástico que libera, no alimento dos bebês, o bisfenol A, uma substância que, desde 1993, tem propriedades tóxicas descritas na literatura científica.

No Brasil, ao contrário do Canadá, praticamente todas as mamadeiras disponíveis no mercado são feitas de policarbonato, levando aos bebês o risco de desenvolverem doenças desencadeadas pelo bisfenol A (obesidade, hiperatividade e distúrbios de comportamento, diabetes, câncer, puberdade precoce, além de feminização e mal-formações no sistema reprodutivo de meninos).

Atualmente, há muitos estudos científicos que comprovam os efeitos tóxicos de centenas de produtos químicos utilizados em materiais de amplo emprego, como alimentos, cosméticos, embalagens plásticas, agrotóxicos, entre outros. Por outro lado, entre a divulgação dos estudos que demonstram a toxicidade dos materiais, inclusive medicamentos, e a proibição da sua comercialização, normalmente decorrem muitos anos.

No Brasil, observa-se que não há uma via direta de comunicação entre os cientistas e a sociedade, e é freqüentemente complexa a transcrição do conhecimento científico para que este possa ser compreendido por pessoas comuns e profissionais de outras áreas, como a jurídica, por exemplo. Mesmo havendo boa vontade, dificilmente, os cientistas brasileiros conseguem fazer com que os resultados de suas pesquisas resultem em medidas concretas, visando a proteção da saúde pública. Por exemplo, pesquisadores da Universidade de São Paulo, da equipe do doutor Paulo Saldiva, comprovaram que a queima da cana-de-açúcar libera poluentes atmosféricos que causam severos problemas de saúde na população exposta.

O mesmo grupo também comprovou que milhares de mortes poderiam ser evitadas, se o diesel comercializado no Brasil contivesse teores de enxofre menores do que aqueles atualmente praticados. Apesar de todas as provas conclusivas por eles apresentadas, inclusive, descrevendo os custos para o sistema público de saúde, decorrentes de tais práticas, seu esforço rendeu pouco ou nenhum avanço em defesa da população. Depois de muitos debates acirrados, envolvendo diversas instâncias governamentais, tanto a proibição da queima da cana-de-açúcar, quanto a redução dos teores de enxofre presente no diesel comercializado no Brasil, foram adiados.

Diante de tais fatos, e considerando que as fontes de exposição a substâncias tóxicas têm se tornado cada vez mais comuns, há de se perguntar como a sociedade poderia se defender diante de tais riscos, considerando que a maioria absoluta das pessoas não tem acesso ou não compreende os dados apresentados em trabalhos científicos onde tais problemas são descritos? Será que instituições como o Ministério Público estão preparadas para apoiar os cientistas dispostos a atuar em defesa da saúde pública? Será que estas perguntas não merecem uma resposta urgente, considerando-se que, no Brasil, o câncer é apontado como a segunda causa da morte entre as mulheres e terceira entre os homens, sendo que 80% dos casos da doença estão associados a fatores de risco presentes no ambiente?

Fonte: Correio do Estado

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Mergulho no Recanto Ecológico Rio da Prata revela a beleza e o mistério do mundo subaquático

Mergulho com cilindro no Rio da Prata Foto: Andre Seale


Para os turistas que passarem pela cidade de Bonito e Jardim, no estado de Mato Grosso do Sul, o atrativo turístico Recanto Ecológico Rio da Prata oferece a opção do passeio de mergulho com cilindro, feito com instrutores capacitados e em turmas de no máximo duas pessoas, por instrutor.

O novo passeio é fruto de uma parceria entre a operadora de mergulho de Bonito-MS Caiman Escuba Dive e o Recanto Ecológico Rio da Prata. Ao contrário de muitos passeios nesta modalidade, para mergulhar no Rio da Prata não é necessário ter curso, qualquer pessoa acima de 10 anos de idade, sendo experiente ou não na área de mergulho, pode fazer o passeio, que é guiado por um profissional certificado internacionalmente.



O passeio tem duração de 40 minutos aproximadamente. O percurso é de 600 metros com profundidades de até 7 metros. A visibilidade atinge de 10 a 25 metros e a temperatura da água varia de 20 a 25 graus Celsius.

Acesse o link e mergulhe nessa aventura:


Assessoria de Imprensa
Recanto Ecológico Rio da Prata
Estância Mimosa Ecoturismo
http://www.bonitoweb.com.br/

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Dicas de gerenciamento de e-mails

A Microsoft elaborou um conjunto de regrar para otimizar o gerenciamento de e-mails em empresas. Essas dicas já são adotadas por grandes coorporações como a fabricante de produtos químicos Lanxess.
Regras de Etiqueta no Gerenciamento de E-mails:

E-mails exigem atenção para garantir desempenho e elegância.

-Prazo de resposta para e-mail interno - 24h

-Prazo de resposta para e-mail externo - 8h

-Quando não for possível cumprir prazos de resposta, programe uma mensagem automática explicando o motivo

-Campo destinatário "Para" - reservado para responsável pela ação ou interessado na informação

-Campo destinatário Cc - para alguém envolvido diretamente no assunto (pessoas em Cc não têm obrigação de responder)

-Campo destinatário Cco - usado para tirar alguém da corrente (informe a todos no e-mail)

-Escrever "ação" no assunto - quando requisitar uma atitude do leitor, como alguma aprovação de proposta para um cliente

-Estruture o e-mail com três partes: objetivo, para criar contexto; ação requerida e prazo, se possível com destaque; e histórico, que deve aparecer no final e em anexo se for muita informação

-Evite - parágrafos longos, e-mails extensos e planos de cores que dificultem a leitura

-Use recursos de importância e confidencialidade em anexos

-Evite ao máximo o "responder a todos", principalmente quando for para mais de cinco pessoas

-Encaminhar - explique porque está encaminhando e faça um resumo do histórico

-Antes de enviar, revise campos principais, como destinatário, assunto e método

Fonte: Valor Econômico

Fórum Nacional de Ecoturismo em Bonito-MS

De 07 a 10 de dezembro acontece o Fórum Nacional do Mercado de Ecoturismo, no Centro de Convenções de Bonito. O evento é uma promoção da Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul e do Bonito Convention & Visitors Bureau. O evento conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Bonito, do Conselho Municipal de Turismo de Bonito e da Atratur, além de diversas organizações nacionais: Abeta, Confederação Brasileira dos Conventions & Visitors Bureaux e de organizações estaduais como Sebrae, Senac, Associação Brasileira dos Bacharéis de Turismo – ABAV-MS, e Federação MS de Conventions & Visitors Bureaux.

A ação pretende reunir participantes de todo Brasil de segmentos de ecoturismo e de natureza visando contribuir para a qualificação da comercialização dos produtos ecoturísticos, a fim de ampliar a participação econômica do segmento junto ao mercado nacional e internacional de Turismo. Com o tema "Os desafios para a Comercialização do Ecoturismo no Brasil", o Fórum Nacional do Mercado de Ecoturismo debaterá três eixos temáticos:

• Marketing e Comercialização do segmento de Ecoturismo;
• Gestão e Qualificação em Ecoturismo;
• Mercado de Trabalho.

Durante o evento, serão ministradas palestras de diversas especialidades com profissionais de renome nacional. Terá ainda, uma exposição de produtos ecoturísticos e culturais e visitas técnicas.

O Bonito Convention, a FUNDTUR , a Atratur e a Prefeitura de Bonito, visando fortalecer o associativismo e propiciar a participação da população local, elaborou uma tarifa especial para a inscrição dos moradores de Bonito, estudantes ou associados às entidades locais conforme abaixo relacionado: Associados BCVB: R$ 40,00 (quarenta reais) por inscrição, até duas pessoas por empresa, caso precise de mais inscrição terá que fazer inscrição pelo valor de bonitense.

Moradores de Bonito estudantes ou pertencentes às demais organizações associativas: R$ 60,00 (sessenta reais). Requisitos: morar em Bonito, comprovar residência, ser estudante ou associado de uma entidade local como: ATRATUR, ABAETUR, ABH, AGTB, ACEB, ABRASEL, BRAZIL BONITO, COMTUR, COOPERBON, FAMÍLIA LEGAL, IASB, NEOTRÓPICA, SINDICATO RURAL;

Maiores informações:
www.forumecoturismo.com.br

Fonte: Bonito Convention

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Bonito promove em novembro 7º Festival da Guavira

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Seminário: Patrimônio Natural e Paisagem Cultural da Serra da Bodoquena

Informações: 18sr@iphan.gov.br ou pelo tel: (67) 33828921

Fonte: IPHAN

Enquanto isso no escritório do Prata e da Mimosa...

Enquanto as equipes das fazendas Rio da Prata e Estância Mimosa se mexem para cuidar do passeio, segurança e alimentação dos turistas, o pessoal do escritório em Campo Grande organiza as finanças, vendas e a divulgação dos destinos.

Todos unidos na organização do escritório

A arrumação ainda não tinha chegado na mesa da assessoria de imprensa

Enzo aprendendo a função dentro da barriga da mamãe Elaine

Carina, a turismóloga da equipe


Assessoria de Imprensa
Recanto Ecológico Rio da Prata
Estância Mimosa Ecoturismo
http://www.bonitoweb.com.br/

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Peça teatral "Em busca do olho perdido"

Em Busca do Olho Perdido, é uma peça teatral encenada pelo Grupo Teatral Luzes - o primeiro do Brasil formado por deficientes visuais, que comemora 15 anos.

Estréia dia 08 de novembro às 21 horas e reapresentação no dia 09 às 19 horas, no Teatro da MACE, em Campo Grande-MS.

Ingressos: R$ 20,00 (estudantes, 3ª idade e pessoas com necessidades especiais pagam meia entrada)

MAIS INFORMAÇÕES: F. (67) 9237-3023

Fonte: Blog ATNS-MS

segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Abrampa realiza em Bonito evento de proteção ao meio ambiente

Atração Turistica - Flutuação em Bonito-MS/ Foto: Andre Seale

Na expectativa de contar com a participação de membros do Ministério Público de todo o país, a Associação Brasileira do Ministério Público de Meio Ambiente - Abrampa - promoverá o evento "A Efetividade e a Atuação do Ministério Público na Proteção do Meio Ambiente", que será realizado de 26 a 28 de novembro de 2008, no Zagaia Eco-Resort Hotel, na cidade de Bonito-MS.

O encontro visa a otimização da atuação ministerial, através da promoção de troca de experiências na área ambiental, bem como a uniformização da atuação do Parquet em relevantes temas, como a reparação do dano e sua valoração, destinação de recursos, improbidade administrativa, crimes ambientais, cumprimento dos compromissos de ajustamento de conduta e efetividade das ações civis públicas.

Diante do desenvolvimento econômico do país, a Abrampa sente a necessidade de dialogar com profissionalismo sobre as repercussões ambientais e a atuação ministerial neste desenvolvimento. O debate será direcionado para o próprio Ministério Público Ambiental, para que esteja preparado e qualificado para o atendimento dos anseios da sociedade brasileira na defesa do meio ambiente e na busca do desenvolvimento sustentável.

O evento pretende reunir membros do Ministério Público Ambiental de todo o Brasil em um formato diferente. Serão realizadas oficinas de trabalho e grupos de discussões, ao invés de tradicionais palestras.

Serão oferecidas 80 vagas.

PROGRAMAÇÃO PROVISÓRIA

Será exigido o traje social completo somente na Cerimônia de Abertura.

26-11-2008 (quarta-feira)

19:00 - Abertura oficial
19:30 - A responsabilidade empresarial no cumprimento da legislação ambiental - FIEMS
20:00 - Palestra magna: "Efetividade da atuação do Ministério Público Brasileiro na proteção ambiental" - Dra. Silvia Cappelli - Procuradora de Justiça do Ministério Público do Rio Grande do Sul
21:00 - Coquetel

27-11-2008 (quinta-feira)

9:00 - Oficina I: IMPROBIDADE E CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO AMBIENTAL (Facilitador: Carlos Eduardo Ferreira Pinto MP-MG)

12:00 - Almoço

14:00 - Oficina II: PROCESSO CRIMINAL (Facilitador: Nelson Bugalho - MP/SP)

28-11-2008 (sexta-feira)

9:00 - Oficina III: EFETIVIDADE NO CUMPRIMENTO DE OBRIGAÇÕES DE FAZER E NÃO-FAZER (Facilitador: Rochelle Jelinek - MP-RS)

12:00 - Almoço

14:00 - Oficina IV: OBRIGAÇÕES RELATIVAS À REPARAÇÃO DO DANO (Facilitador: Annelise Steigleder - MP-RS)

Inscrições através do site: http://www.abrampa.org.br/bonito/inscricoes.htm

Fonte: Diretoria da Abrampa